All for Joomla All for Webmasters

Dicas sobre passeio com cães em parques

Chega o final de semana e já começamos a nos programar para os momentos de alegria com os pets. Os parques ficam cheios de lindezas correndo e brincando, e alguns cuidados devem ser observados para que seja realmente só diversão.

O ideal seria que mantivéssemos uma rotina diária de passeios, brincadeiras e socialização dos cães com aumiguinhos e com outras pessoas. Isto é fundamental para a saúde física e emocional do cão que vai se exercitar mantendo o peso ideal ( e nós também = ) ), e solidificar um comportamento mais confiante e sereno.

Vamos às dicas?

– certifique-se que o cão tem condições físicas para os passeios. Comece sem exageros. Adapte o pet gradativamente com alguns poucos minutos a cada dia e vá aumentando à medida que ele responde bem a atividade. Se ele parar várias vezes durante o passeio, ficar demasiadamente ofegante ou se recusar a caminhar, é um sinal de alerta. Às vezes pode ser só falta de hábito ao exercício, como acontece conosco quando somos sedentários, mas vale respeitar o tempo dele, assim como buscar uma avaliação do medico veterinário.

– fundamental que os passeios sejam realizados em horários mais frescos do dia. Os cães não possuem glândulas sudoríparas pelo corpo como nós, que somos capazes de trocar calor pela transpiração e assim baixar a temperatura corporal. Eles se tornam ofegantes para realizar esta troca.

– Desnecessário comentar sobre a necessidade de recolher o coco deles certo? Mesmo porque, sabemos que se ficarem lá, poderão serem fonte de contaminação de parasitoses para os demais. Quem ama cuida!

– passeios promovem socialização como já comentamos. Não é raro atendermos cães que não suportam outros cães e nem tampouco gostam do contato de outros humanos. No Pet Afeto, projeto social no qual os cães levam alegria a crianças, jovens e idosos abrigados, temos uma pergunta sobre o perfil comportamental do cão que diz: Ele sabe que é cachorro? Quase que a totalidade dos tutores  morrem de rir e dizem não, claro que não! O fato de manterem o comportamento de cachorro não quer dizer que não possam ser amados como filhos que são, mas que estão saudáveis do ponto de vista emocional. E a saúde deles, é a nossa alegria!

Diversão a vista? Aproveitem!

Suraia Aissami

Medica Veterinária Nutrologa

 

COMPARTILHAR:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *